Páginas

terça-feira, 23 de março de 2010

sobre Dom e Sucesso


Eu sou do tipo que lê e relê uma resvista umas 50 vezes, geralmente passa alguma coisa despercebida e só depois de semanas, e talvez meses, é que consigo "mastigar" tudo bem direitinho. Na Revista CLAUDIA nº 11 Ano 48 (nov/2009) tem reportagens interessantissimas (por sinal adoro essa revista), mas só li a entrevista com Robert Wong mês passado; eu, que ando confusa com minhas escolhas profissionais, achei fantástica e muito motivadora as palavras do headhunter, e por isso resolvi fazer um mega post com algumas partes da entrevista aqui.

"Um dos mais importantes headhunters do mundo, o brasileiro Robert Wong indica caminhos para quem quer construir uma carreira - e uma vida - de sucesso.

Como desenhar uma carreira de sucesso?
A palavra carreira vem da expressão latina que indicava a via das carroças. Imagine carroças andando na Roma antiga, formando sulcos na terra por onde todos seguiam. Se você estava numa carreira e queria desviar; não conseguia, ficava travada naquele trilho. Para desviar, tinha que levantar a carroça e tirá-la dali, iniciando um novo trilho. Se estivesse cansada, era complicado parar porque atrás vinha gente. Interessante: não é igual com a carreira? A carreira tem esses limites. Conquistar sucesso é algo que tem início bem antes, com o autoconhecimento. E conhecer a si mesmo lhe permitirá encontrar algo acima da carreira: sua vocaçâo.

Em resumo, explorar nosso dom?
Vocação e dom são palavras instigantes. A primeira vem do latim vocare, chamar. Vocação é o seu chamado, a voz interna. Já dom, em inglês, é gift, que significa também presente. O dom é um presente que recebemos. Quando você descobre seu dom, não faz com vontade, faz com paixão; não faz com qualidade, faz com excelência. Dom é mais que talento. Todos nós temos talentos, qualidades dão mais facilidade para desenvolver determinada atividade. Mas o grande negócio é o seu dom.

E como achar nosso dom?

Ouvindo o seu chamado, que é a sua intuição. A voz interna fala conosco, só que baixinho, e, se a gente não parar para prestar atenção não ouve. Quem quer descobri o que vai lhe dar real satisfação deve se perguntar três coisas importantes: o que gosto de fazer; no que sou bom; e o que os outros estão dispostos a me pagar para eu fazer. Por exemplo: eu gosto de jogar tênis, e sou bom nisso, mas ninguém vai pagar para me ver jogar tênis. Então não é uma carreira, mas um hobby. É essa terceira pergunta, pragmática, que nos encaminha para algo que possa gerar receita, finalidade do trabalho. Quando você descobre seu dom, faz aquilo movido pela paixão, realiza com excelência e aí ganha muito dinheiro! E todos nós temos um dom. Mas as pessoas em geral não o procuram, se satisfazem com meros empregos. Quem procura a realização deve se libertar - conquistar o direito de ser quem é.

Essa postura exige uma alma de líder, certo?
Liderança é um tema fascinante. Alguns acham que é um traço nato, outros que é adquirido. Para mim, é um traço nato que aparece em graus diferentes. O líder tem três características principais: vontade de liderar - coisa difícil, pois ser liderado é bem mais fácil; desejo de se superar - só que o verdadeiro líder que se superar em benefício de todos; e carisma.

Diante de um desejo, deve-se insistir sempre, desistir nunca?

Boa pergunta. Para qualquer dúvida que você tenha, a resposta já está pronta e dentro de você. Quando precisar decidir, pergunte a sua cabeça e ao seu coração. Se ambos dizem sim, vá em frente porque as chances de dar certo são muito grandes. Se ambos dizem não, desista! Mas se a cabeça diz sim e o coração não, ou vice-versa, vá pelo coração, sua essência, que é sábia. A mente é jovem, é o ego. Em outras palavras, o tesão tem que falar mais alto do que a rezão. Isso vai até contra as diretrizes do mundo corporativo. Mas sabe por que dá certo quando você ouve de verdade o coração - não uma emoção falsa, sem base, mas o real? Porque se o tesão está lá, você faz acontecer."

Todas as opniões aqui relatadas são de inteira responsabilidade do entrevistado.

2 comentários:

  1. Ameeeeeeeeeeeeii... Serviu muuito pra mim tb!!! PERFEITO...
    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  2. Menina, só uma coisa: 'Vocação e dom são palavras instigantes' e é aí que está o problema!!!

    Beijos, adorei a reportagem!

    ResponderExcluir