Páginas

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Pra que (pra quem) a gente se arruma tanto?



A gente não precisa ser incrível-inacreditável 27 horas por dia/sete dias por semana (ninguém é!), mas a gente pode se curtir o tempo todo sim. Afinal, a gente se veste pra quem? Não é pra gente mesma? A idéia não é se cuidar e então entregar esse cuidado em forma de look bom pro mundo?
No trabalho como personal stylists nesses anos todos a gente atendeu duas, no máximo três clientes do ‘mundo da moda’. A grandessíssima maioria das nossas clientes não trabalha no “mundinho”, e quando elas procuram o serviço de consultoria da oficina a demanda é uma só – mesmo que de jeitos difrentes: se encontrar, amadurecer (visualmente), determinar com a aparência quem se é e o que se quer da vida. Delas pra elas mesmas. Marido tem opinião, mãe também sempre dá uns pitacos (nossas primeiras personal stylists, sempre elas!) e amigas reparam e temperam com entusiasmo e até uma invejinha… mas o cuidado com o visual, a inteligência pra comprar e pra coordenar o que se tem é ganho pra quem adquire/exercita!
Essas clientes não esperam que quem tá em volta reconheça as marcas das peças que escolhe, ou que cite numa conversa a coleção a que determinado look pertence. não se espera nada do outro – não em relação ao que se veste. Elas se preocupam com o que o espelho devolve, e querem aprender a trabalhar em parceria com ele (e apenas ele!). mais importante é estar confortável (no sentido mais amplo que a palavra possa ter), encontrar versões mais e mais aperfeiçoadas da gente mesma, se sentir tão bonita quanto a gente pode ser. se curtir!
Aparentemente quanto mais envolvimento com o mundo da moda a gente tem, mais importância (vazia) a gente dá ao que veste. O que pode render também uma frustração extra em relação a expectativas não “supridas”: se a gente se veste pros outros, suprir expectativas não depende da gente; se a gente se veste pra gente mesma, é possível errar experimentar acertar quantas vezes for preciso (em frente ao espelho) até receber um sorriso de volta – da gente pra gente mesma!
Ânsia de querer estar o tempo todo fabulosa parece ser coisa de quem não tem outras atividades com que preencher a existência. Tanto tempo-esforço-debate-melindre entregue só ao look… não tem por que. Se vestir é parte da vida – não é tudo que a gente vive. e a gente se veste pra estar incrível sim, especialmente se toda essa “incredibilidade” corresponde à vida que a gente vive dentro das roupas que veste. E uma coisa não depende da outra de jeito nenhum!

Um comentário:

  1. Muito bom amiga, gostei muito!
    Isso é a mais pura verdade, nem todo tempo vc pode estar exuberante, linda, charmosa (pros outros)Por que, experimenta ficar 1:30h min num busão lotado, chegar no trabalho num calor de lascar, passar o dia correndo com o serviço e se, ainda mais tivéssemos de nos preocupar durante 24h em estar bela para os outros, aff... Seria uma preocupação a mais. Ja temos tantas coisas a pensar... Bom é estar bem consigo mesma... Se sentir linda, com uma rasteirinha... Por isso meu lema... "Nem sempre precisamos de um salto alto, ás vezes uma rasteirinha basta para nos sentirmos bem conosco." bjs

    ResponderExcluir