Páginas

segunda-feira, 28 de março de 2011

Jovem 'de Deus'

Depois o rei ordenou a Aspenaz, o chefe dos oficiais da sua corte, que trouxesse alguns dos israelitas da família real e da nobreza: jovens sem defeito físico, de boa aparência, cultos, inteligentes, que dominassem os vários campos do conhecimento e fossem capacitados para servir no palácio do rei. Ele deveria ensinar-lhes a língua e a literatura dos babilônios. Daniel 1:3-4


É comum vermos nas igrejas jovens designados como sendo 'de Deus'. Geralmente são denominados assim os "pregadores da palavras". Futuros ministros do evangelho. E coisas do tipo.
Não acho errado que alguns jovens almejem ser obreiros, pastores, apóstolos, ou etc. Mas me irrita profundamente ver que a 'grande massa evangélica' gosta de denominar esses meninos como 'obreiros aprovados', como aqueles que serão 'o futuro da igreja'. E por aí vai... como se somente esses 'pregadores' pudessem ser jovens de sucesso, ou melhor, jovens de Deus.
Eu vejo o exemplo de Hananias, Misael e Azarias e percebo que diferente de Daniel eles não exerceram nenhum tipo de ministério profético, ou de revelação de sonhos. Mas a palavra deixa claro que eles eram cultos, inteligentes, e dominavam vários campos do conhecimento. Sem esquecer que eles adoravam ao Deus Todo-Poderoso, não existia nada neles que pudéssemos chamar de 'vocação ministerial'. Mas ainda assim está muito claro ( e depois da fornalha ardente, fica mais ainda ) que eles eram jovens escolhidos por Deus, e porque não dizer: jovens de Deus.
Um jovem pode não exercer nenhum ministério em sua congregação, mas ser um testemunho vivo do evangelho na faculdade e/ou em seu trabalho. Pode não ser um intrépido 'pregador da palavra', mas pode falar do amor de Deus com simplicidade enquanto conversa e, consequentemente, evangeliza um colega. Pode não ter 'nomes ou cargos', mas pode ser bem sucedido no seu trabalho, ou um bom aluno na sua faculdade/escola e assim glorificar o nome de Jesus com sua dedicação. Enfim, pode ser um jovem de Deus.
Não porque ele recebe oportunidade para pregar aos domingos, ou em cultos especias. Mas sim, porque exala o amor e vida de Jesus por onde passa.

O rei conversou com eles, e não encontrou ninguém comparável a Daniel, Hananias, Misael e Azarias; de modo que eles passa­ram a servir o rei. O rei lhes fez perguntas sobre todos os assuntos que exigiam sabedoria e conhecimento, e descobriu que eram dez vezes mais sábios do que todos os magos e encantadores de todo o seu reino. Daniel 1:19-20

Minha oração é que cada vez mais tenhamos menos jovem que queiram nomenclaturas e cargos eclesiásticos, e mais jovens que desejem levar o nome de Jesus por onde andarem.

Em Cristo,
Marcela


Nenhum comentário:

Postar um comentário