Páginas

terça-feira, 12 de abril de 2011

Não sei tentar...


Tenho a impressão de ter a completa noção das variáveis e, me valendo disso, sempre acho que tenho razão quando resolvo desistir de tentar (o que pode ser simplesmente chamado de: desistir).
Sinto isso quase todas as noites quando tenho que me apegar ao meu curso de exatas.
Sempre me pego pensando: provavelmente vou reprovar, acho que vou desistir de já...
E tornei esses pensamentos um ciclo vicioso que reconheço: preciso me tratar! (Alguém sabe onde são feitas as reuniões dos Desistentes Anônimos?).

Alguém pode dizer que não se pode desistir sem tentar e blá blá blá; me encher de frases de efeito com as quais vou concordar. Contudo, me parece que o 'ceteris paribus' que tenho (desde sempre) aplicado a minha engenhosa vida acadêmica exata, é intocável, e um bucado irresistível.
E se, assim, tudo continuar "o mais constante" vou acabar desistindo; de novo! 

2 comentários:

  1. Esse texto me lembrou uma citação do Bob Marley: "Eu desisti. Mas não pense que foi por não ter coragem de lutar, e sim por não ter mais condições de sofrer."

    Querida, nda é mais difícil do que desistir, abrir mão, não finalizar, mas acho que tudo é sempre um recomeço, se não foi, não era pra ser. Não tenha medo, o melhor ainda está por vir!!

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  2. Eu adoreeei estudar isso na ECONOMIA ! afinal "todo o mais constante" para as demais .rsrs
    bju mah.

    ResponderExcluir