Páginas

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Paciência

A paciência deve ser irmã da sabedoria e, certamente, elas sempre andam juntas... Uma vez que sempre que somos pacientes, acabamos agindo com sabedoria. E se usamos a sabedoria, somos pacientes. Várias situações dos últimos meses me fizeram caminhar em direção a constatação de que não tem jeito; para um bom convívio (seja lá com quem for) é necessário doses "cavalares" de paciência. E não confunda paciência com "ser feito de besta"! Temos uma natureza egoísta e por isso existe em nós a tendência da 'vítima'. Em tudo somos a vítima: nas brigas do casamento, nos desentendimentos com os pais, na falta de atenção dos amigos, no trânsito (principalmente!!!), na internet e etc. Na maioria dos casos, parecemos crianças mimadas, mesmo que nunca tenhamos sido uma delas...

Um bebê tem a inocente consciência de que o mundo gira ao redor dele, ou seja, que todas as coisas funcionam em favor dele. Mesmo depois que crescemos ainda sentimos resquícios dessa consciência em nós. E a paciência é uma grande colaboradora para a manutenção (e contenção) do nosso egocentrismo...
Além disso, se você não pretende viver sozinho no mundo, então vai precisar conviver. E para conviver (meu caro telespectador leitor) é preciso muita (muita mesmo) paciência.

"Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino". Apostolo Paulo na 1ª Carta aos Coríntios Cap. 13 vs. 11

Enquanto escrevia eram essas palavras que me vinham a mente. Acredito que quando Paulo escreveu esse trecho dessa magnifica carta, estava falando justamente disso. Não de paciência em especifico, mas da mentalidade infantil que ainda guardamos. Entendo essas frases como um despertamento ao amadurecimento, sem esquecer, claro, que esse processo jamais termina...



{Esse texto foi patrocinado pelo status do meu facebook: Paciência deve ser um dos grandes segredos para uma convivência feliz... né?}

Inspire-se

2 comentários:

  1. Inspirado. :)
    Mas como se sabe a altura que estamos a deixar de ser pacientes e passamos a "ser feito de besta"?

    ResponderExcluir
  2. Sabe... esse é um dos questionamentos que também me faço.

    ResponderExcluir