Páginas

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

u mêu pái

Nada como começar um texto para o dia dos pais com aquela voz de Henri Cristo dizendo: u mêu pái! HEHE! Só pra descontrair...
É que meu pai é meio assim: descontraído. E muito workaholic. Por sinal, é essa uma das coisas que eu mais admiro nele. Aquele tipo de coisa que inspira sabe?! Que a gente olha e pensa: Poxa! Eu quero ser assim. Não lembro a última vez que o vi tirar férias; quer dizer, até lembro... acho que eu tinha no máximo uns 8 anos, ele tinha um fusca e morávamos numa casa com coqueiro, mangueira e mamoeiro e - como dá pra perceber - o quintal era enorme. Mas ele ficou de férias do emprego oficial e logo arrumou uns trabalhos freelancer só pra se divertir. Se ele deixou de dar atenção a gente pra trabalhar? Deixou. Mas ninguém ficou frustrado, traumatizado, nem entrou em depressão por causa disso. Ao contrário. Desde cedo a gente (eu e minha irmã) aprendeu o valor do trabalho.
Meu pai começou de baixo... de baixo mesmo. Trabalha desde os 9 anos de idade e desde sempre sabia que seria dono do seu próprio negócio. Um negócio pequeno ainda. Mas com mais de 10 anos de mercado com clientes satisfeitos e trabalho muito bem feito.
Eu sempre o admirei por isso e por outros milhões de coisas.
Menina tem pelo pai aquela admiração que se traduz nessa frase: Quero casar com um homem feito meu pai! E é mais ou menos assim que (até hoje) me sinto (Que pressão ein noivo? rsrs). Ele tem um jeito diferente de apoiar e de nos fazer andar com as próprias pernas. Além disso, o seu modo de nos corrigir é realmente particular e somente a gente sabe quanto dói aquele olhar de reprovação...
Ele morre controladamente de ciúme da gente. E quando a gente o abraça é como se um mundo inteiro de carinho e cuidado também nos envolvesse. Ele é meu ícone de profissional, chefe e homem. Como minha mãe diz: é a nossa suprema corte. E dentro de casa tem três mulheres (eu, minha mãe e minha irmã) completamente apaixonadas por ele.
Eu gostaria de oferecer-lhe os melhores presentes do mundo. E aí ele vai dizer que o melhor presente que a gente pode dar é a obediência (hehe).
Ele tem meu respeito, minha admiração e todo meu amor.


Dias dos pais feliz é pra quem tem um pai como o meu, e ai seria Dia dos filhos felizes.
E acho que é bem por aí!

Te amo meu chuchu*!!

* é como está gravado o número dele no meu celular ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário