Páginas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Águias Artificiais


O Senhor é o meu pastor;
nada me faltará.
Deitar-me faz em verdes pastos,
guia-me mansamente às águas tranqüilas.
Refrigera a minha alma;
guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.
Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte,
não temeria mal algum,
porque tu estás comigo;
a tua vara e o teu cajado me consolam.
Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos,
unges a minha cabeça com óleo,o meu cálice transborda.
Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida;
e habitarei na casa do Senhor por longos dias.
(Salmo 23)

Estou a apenas cinco passos da águia. Suas asas estão abertas, e suas garras, levantadas acima do galho. Penas brancas cobrem-lhe a cabeça, e seus olhos pretos perscrutam-me de ambos os lados de um bico dourado. Está tão próxima que posso tocá-la. Tão perto que posso acariciá-la. Basta inclinar-me e esticar o braço direito, e posso cobrir com a mão a crista da águia. Mas não o faço. Não me aproximo. 
Por que não? Estou com medo dela? Dificilmente. 
Ela não tem se movido nos últimos dois anos. A princípio, quando abri a caixa, ela impressionou-me. Quando a pus na estante pela primeira vez, admirei-a. Águias artificiais são bonitas por algum tempo, mas logo você se acostuma com elas. 
Davi está preocupado com o risco de você e eu cometermos o mesmo engano acerca de Deus. Sua pena mal tocou o papiro, e ele insiste conosco para evitarmos deuses de nossa própria fabricação. Logo com as primeiras palavras deste salmo, Davi dispõe-se a livrar-nos do peso de uma divindade menor. Alguns podem argumentar que ele não buscou fazernada mais. Embora ele falará de pastos verdes, sua proposta não é descanso. Ele descreverá o vale da sombra da morte, mas o seu poema não é uma ode à morte. Ele contará da casa eterna de Deus, mas o seu tema não é o céu. 
Por que Davi escreveu o Salmo 23? 
Para edificar nossa confiança em Deus... para recordar-nos quem Ele é

Nenhum comentário:

Postar um comentário