quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Pra nós, todo amor do mundo

Estou numa vibe tão Los Hermanos que até acho engraçado. Acho engraçado pelo simples motivo que essa vibe chegou exatamente no dia quando eu e Pietro começamos a andar de carro sozinhos (só nós dois!!).
Ele fica calminho, calminho quando eu ligo o rádio e deixo rolar o sonzinho dos caras. Principalmente - e especialmente - a música a seguir. Pietro adora. E eu vou gostando junto ;)

Alguém explica

Como uma mulher poder ser mãe de um bebê de 4 meses que acorda na 'madruga' pedindo leite, fazer o trabalho de conclusão de curso, trabalhar, ser esposa e dona de casa? Assim. Tudo ao mesmo tempo. Como pode? Será que dá ou vou 'estafar' em algum momento?

terça-feira, 28 de agosto de 2012

O cabelo branco

Já vivi bastante coisa e sei que ainda nem cheguei a metade. Tenho consciência de uma parte da imaturidade que ainda tenho. A outra parte eu finjo não ter.
Já quis muitas coisas na minha vida, já quis ser muitas coisas também. E quando eu dei por mim sou esposa, mãe e aprendiz (sempre!). 
Mas nada disso foi assim tão de repente. Foi porque eu escolhi. E digo com propriedade: estou feliz assim.
Sei apenas que, apesar de quase sempre cansada (coisas da maternidade), me sinto grata, me sinto bem, me sinto até bastante jovem (sou uma mae xovem ué!!).
E por que todo esse blá blá blá? Você me questiona, meu caro leitor...
É que ontem estava eu, tranquila, me arrumando para dormir quando encontro o meu PRIMEIRO cabelo branco (Ooooh!). Do bulbo a ponta completamente branquinho. Apesar de não ser encucada com isso, fiquei passada. Senti o peso da idade, da vida, e da maternidade (por que não?) imediatamente. E fiquei indagando sobre minha própria existência enquanto observava meu filho no berço ao lado...

Agora me diz, como é que um ÚNICO fio de cabelo branco pode causar esse impacto na vida da gente?
Que coisa não?

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

A rotina dos sem rotina

Desde antes de Pietro nascer eu sabia que para ser meu filho ele, infelizmente, não poderia se prender a rotina. Pois eu sou (e consequentemente, meu marido) a pessoa mais "sem rotina" da face da Terra. Daí que infelizmente nosso bebê precisava "entender" que a falta de rotina seria, na verdade, a sua rotina. E até então, as coisas tem caminhado bem (não sei como vão ficar no futuro). Pietro dorme bem, de dia e de noite - onde quer que esteja. E fica muito tranquilo em qualquer lugar.
É claro que tem dias que ele "escolhe" para ficar abusadinho, cansado e sem sono. O que é normal para uma pessoa que vive entre nós a apenas 4 meses.
Com a minha volta às aulas essa 'falta de rotina' ficou ainda mais corrida - e cansativa. Mas, não tem outro jeito:

(Por volta das) 5:00 - Pietro acorda, mama e dorme de novo. Eu corro para arrumar o "acampamento" (leia-se: bolsa, roupas, artigos de higiene - tudo dele);
6:15 - A gente sai de casa rumo ao escritório;
7:15 - Chego no escritório, ele mama um pouquinho e eu saio para a faculdade;
Depois desse horário ele fica com minha mãe - no escritório - onde mama mais um pouco na mamadeira, dorme de novo, toma banho, mama na mamadeira outra vez (NAN Confor) e pega no sono;
(Por volta das) 12:00 - Chego da faculdade e quase sempre ele está dormindo, quando não, ele mama e pega no sono rapidinho;
E assim o dia se segue com a livre demanda de leite materno e de atenção de todos entre nós.
(Por volta das) 19:00 - Chegamos em casa, Pietro brinca com o pai, brinca, mama, e as vezes ele consegue sonecar uns 30 minutos;
21:00 - Acorda, brinca, conversa muito, briga, mama de novo, e começa a ficar com sono;
(Por volta das) 22:30 - Vamos para o quarto conversar e cansar ele mais um pouco, até que ele mama e pega no sono "valendo";
Daí pode contar de 3 a 4 horas para um choro de olhos fechados (comassim?!) e uma procura louca pelo peito. Mama e em uns 10 minutos já tá desmaiado de novo.
As vezes ele acorda mais uma vez, as vezes acorda somente perto das 5 da manhã.
E as vezes (as vezes MESMO!!) ele acorda de hora em hora, acontece né?!

E assim seguimos.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

O fim do primeiro trimestre

Muita gente diz que o 1º trimestre é a parte mais difícil de todas; creio que seja pela NOVIDADE que é essa coisa (a maternidade) como um todo. Confirmo que o primeiro mês é tenso (!!!) e parece que nunca vai chegar ao fim. Mas chega (!!!) e logo a gente começa a curtir o que essa fase tem de melhor.
O que posso falar desses três primeiros meses é que Pietro é muito tranquilo. É bravo. Mas dorme bem durante o dia e durante a noite. E só reclama quando tem algo incomodando (fralda suja, fome, calor, frio... essas coisas). No mais, é muito bonzinho e curioso. 
Resolvi então resumir em tópicos algumas coisas marcantes desses primeiros meses. Segue:
  • Nasceu e recebeu nota de Apgar 5/7 (com asfixia leva) - por isso demorou 2 dias para sair da encubadora e vir para mim;
  • Icterícia leve no primeiro mês - dormia muito, mamava pouco e não tomava banho de sol (o pediatra desaconcelhou, não entendi, mas segui. Mudei de pediatra e foi a primeira coisa que a médica nos mandou fazer...);
  • Deu o primeiro sorriso com 1 mês e 10 dias :) ;
  • Demorou a se entender com o peito, sofri, ele sofreu. Mas não desistimos. Com uns 40 dias estava tudo numa boa;
  • Teve reação a vacina do 2º mês. Foi um dia tenso, mas necessário;
  • Passou a interagir mais com a gente e a "falar" angu bastante;
  • Ficou encantado com o pai - e continua;
  • Chegou aos 3 meses com 6,650 kgs e 60 cms - engordou 2kgs em UM mês, cresceu 4cms em UM mês;
  • Diminuiu a quantidade de sonecas, mas ainda continua dormindo bem;
  • Conversa e ri bastante; as vezes até grita (é uma sensação!!!);
  • Adora conversar com o avô materno e fala, fala, fala que é uma beleza;
  • Sempre amou tomar banho, mas agora está curtindo ainda mais. Pega no pé, na água, observa tudo e quase sempre chora ao sair;
  • Continua ODIANDO (pra sempre) vestir e/ou trocar de roupa;
  • Adora os braços das vovós (materna e paterna);
  • E está começando a "estranhar" quem não vê muito - por exemplo: a bisa;
  • Ficou sozinho (sem mim) pela primeira vez dia 15/8 e ficou bem. Eu é que fui embora chorando ¬¬ ;
  • Foi apresentado na igreja e chorou desesperadamente nos braços do pastor;
  • No domingo (26/8) completa QUATRO meses e está entrando numa nova fase mais lindo do que nunca :D
Quase ia esquecendo... Segue:
  • Com 3 meses, de bruços, se apoiou nos braços, levantou a cabeça e se virou - deixando a mamãe e vovó Alda loucas de emoção.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Os slippers da Moleca

Tive uma feliz surpresa quando minha compra chegou e eu descobri que o slipper da Moleca era ainda mais bonito e confortável do que eu tinha imaginado.
Definitivamente ele não fica atrás de nenhum outro de marca mais cara -achei o preço bem amigo-. Segue alguns para a gente desejar:



O meu - Foto: smartphone

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Ser pai é...

Ser pai representa pra mim, a maior responsabilidade que um homem pode carregar sobre seus ombros. Significa abrir mão de alguns sonhos, horas de sono e viver eternamente preocupado. Se ele está bem, se precisa de algo ou se minha conduta estaria correta. Mas apenas quando for pai saberei como são recompensados os homens que foram escolhidos por Deus para desempenharem essa tarefa.
E não tenho medo! Quero ser um bom pai. E espero que você (a mãe dos meus filhos) me ajude.

---
O André me enviou essa mensagem muito antes de imaginarmos a chegada de Pietro. E hoje, posso perceber o quanto um é recompensado pelo outro (pai e filho). Eu fico emocionada feliz em ver o quanto de carinho, amor e cuidado existe na relação dos dois. Mesmo sendo Pietro um bebê de apenas três meses é inegável o quanto ele é encantado pelo pai - e vice-versa.
Ao meu marido e pai do meu filho: FELIZ DIA DOS PAIS!
Você me deu o melhor presente do mundo, a ele (Pietro) você deu a benção de ter um pai presente, carinhoso e divertido!
A gente te ama!


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Na ânsia de mudar

Hoje reconheci que estou na ânsia de uma mudança. O blog já mudou umas 'trocentas' vezes sem garantia de aquietar... Isso é reflexo da vontade de mudar o meu "layout". 
Como conosco não dá pra salvar o código HTML pro caso de não ficar bom, fico apenas na vontade; pois coragem que é bom...

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Um doce te amar


E só depois de ser mãe entendi a loucura da mãe do Jimmy Bolha...

UPDATE

Se você nunca assistiu a comédia aguadinha que é o filme Jimmy Bolha clique no link acima e tente entender. Quanto a mim, tenho lembrado bastante dessa comédia aguadinha e pensado que ser mãe é também ter muito auto controle para não trancar o filho numa redoma longe das pessoas, dos vírus, bactérias, das tristezas, dos sustos e dos carros de som alto que passam na rua fazendo campanha política...
Muitas vezes fico ansiosa para viver coisas que estão muito a frente, mas que chegarão logo. Escola, amiguinhos, noites inteiras de sono, enfim, aquela certa independencia que todo bebê nessa fase começa a ter. E aí penso que ao mesmo tempo que será maravilhoso, será também terrível para mim, para essa mãe tão dependente que me tornei.
Essa mãe que adia a compra da babá eletrônica para poder manter a desculpa do pequeno continuar a dormir num berço ao lado da minha cama, do meu lado da cama, ao alcance dos meus olhos, mãos e carinho.
E no fim das contas -algum dia- eu vou precisar reconhecer que a dependente sou eu e que ele é só meu filho, que nasceu para ganhar o mundo e ser o mais feliz que puder ser..! {Por isso que o 'o amargo é querer-te pra mim'...}

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Sobre a "vaca leiteira" que há em mim

A amamentação nunca foi algo muito simples entre mim e Pietro. Em primeiro lugar porque quando ele nasceu não veio logo para mim, só vim segurar meu filho nos braços 2 dias depois. Ele já estava acomodado com a sonda - e o leite artificial - e ficou muito preguiçoso (e até continua um pouco assim), por conta disso a pega demorou a ser acertada. Eu sofri, ele sofreu e lá fomos nós, aprendendo juntos. Pietro virou um beberrão de leite e eu me senti a mais exausta das mulheres, como se junto com aquele leite fosse embora todas as minhas forças.
Para falar bem a verdade, o primeiro mês foi intenso e difícil. Muito difícil. Meu peito não chegou a rachar, sangrar, nem nada do tipo, mas ficou tão sensível, tão dolorido que por pouco não corri para o NAN.
Mas não corri. Não que veja problema em quem não aguenta e corre. Mas preferi seguir pelo caminho mais difícil. E essa é a parte mais complicada, pois a gente escuta de todos os lados (mãe, vó, tias...) dizendo que SOMENTE o leite materno não enche, não engorda, não ajuda... É só um lanchinho.
Eu perseverei! E lá está o meu pequeno grande e gordo, cheio de saúde e tudo isso somente com o leite da mamãe aqui ó!
Eu acredito na amamentação!!! Acredito na livre demanda e que somente o meu filho pode decidir a hora certa do desmame.
Eu sei que uma hora o trabalho vai apertar, as aulas irão voltar (e o trabalho de conclusão de curso também) e talvez eu precise de um apoio do leite artificial e etc. Mas que isso demore! Que isso não chegue (infelizmente está mais perto que longe ): )!! Que ele possa desfrutar de todo bem que o leite materno oferece e todo carinho que damos um ao outro na hora do 'mamá'!!
Realmente esse bem não tem preço.
Porque não faz somente bem a ele, faz a mim também... e como faz!!! Logo eu, que jamais imaginei tanta felicidade em ser uma 'vaca leiteira'!!!

[1 de agosto - dia mundial da amamentação]



Tempo

Ilustração: Freepik Tempo, não desejo que passes devagar. Tão pouco concordo em passares rápido demais. Apenas passe no seu tempo e n...