terça-feira, 30 de outubro de 2012

Quando a gente muda o cabelo...

É engraçado. Mas sempre que mudo de fase na vida, sinto necessidade de mudar algo na minha aparência. E, geralmente por ser o mais fácil, mudo o cabelo. Cor, tamanho, corte. Há sempre algo para ser alterado.
Desde que Pietro nasceu estava tomando coragem para uma pequena mudança. Daí fui até o salão e pedi para mudar o corte, mas não mexer no tamanho. Porém, não tinha percebido o quanto a "fibra" do meu cabelo mudou com a maternidade (ah hormônios incovenientes, né?!). Não ficou bom. Não dava para manter sem chapinha, ou coisa do tipo.
Tomei coragem, imprimi uns exemplos, e lá fui eu preparada para tudo dar errado - você nunca sabe o que te espera no salão de beleza #FATO -. Mas deu certo. E eu gostei. Com chapinha, escova ou sem nada disso ele ficou como eu queria e esperava. E eu fiquei feliz.
Então me dei conta que quando uma mulher muda o cabelo, ela também "se muda". Parece coisa fútil. Mas é a mais pura verdade. Dá vontade de se cuidar melhor e de se manter melhor. E para quem é mãe, esposa, estudante em tempos difíceis e que ainda 'colabora' na empresa isso não é coisa simples. E por isso a gente tem mesmo é que se esforçar pra ficar mais bonita pro filho, pro marido e, principalmente, para nós mesmas.
Deve ser por isso que a Coco Chanel dizia:
"Quando uma mulher muda o cabelo, ela pretende mudar de vida".

E assim seguimos.

O tal do cabelo novo
O tal do cabelo novo

sábado, 27 de outubro de 2012

Minutinhos divertidos na TV - propaganda

Olá passarinhos!
As coisas por aqui acalmaram um pouco (a apresentação da prévia do trabalho de conclusão a pré-banca foi maravilhosa), mas logo logo uma "correria" ainda maior (será?) nos alcançará. Mas estou feliz, bem e preparada. Mais do que nunca, sinto que fiz a escolha certa em correr pra terminar o curso agora - mesmo com Pietro, que - por sinal - só ajuda, alegra e alivia. É maravilhoso tê-lo em nossas vidas (suspiro de mãe babona!!).

Mas, vamos ao que eu vim fazer aqui:
Tenho visto muito pouco televisão (só Avenida Brasil me prendia #prontofalei). Mas volta e meia vejo umas propagandas muito bem boladas. E como vocês sabem o quanto eu gosto de comerciais, eu vim aqui mostrar o que tô achando legal. Segue:

Ô folgado



HAHA! Não tem como não cair na gargalhada com o Wanderlei Silva. "Ô folgado! Cê é folgado, ein?" Achei a ideia muito legal, e divertida, claro!

Pessimistas, pensem bem!



Sabe o que achei legal?! Como a agência que criou esse comercial conseguiu transformar 'o que pode ser um caos na copa' em FESTA! Ah, achei muito interessante. E no fim, a gente até se pega dizendo: é mesmo!

Bons tempos




Ah, desses um dos melhores é o do novo (não vi nada de novo!) Voyage 2013. Concordo também que "a melhor fase de nossas vidas é 'agora'!". Como o Voyage é um carro normalmente comprado por famílias, então que o foco seja a tal instituição. Achei muito boa a ideia.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

De tudo que todos sabem

Falta de tempo
Excesso de sono / cansaço
Atenção mil para o filhote (que só quer saber de brincar e dormir que é bom... )
Pouca atenção pro maridão :(
Trabalhando loucamente para o TCC
Estressando-se loucamente também
Mais falta de tempo
Mais excesso de sono / cansaço
...
e assim seguimos!

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

As gracinhas do 5º mês

E então chegamos ao quinto mês de vida do nosso pequeno pirralhinho. Ele comemorou o seu primeiro dia das crianças (uhul!). E ganhou mais presentes do que imaginávamos. Desde a Galinha Pintadinha (que ele adora) até um carrinho com controle remoto (oi?) que vai servir como décor no quarto dele até que ele pare com essa 'neura' de colocar tudo na boca. HEHE!
Acho que desde que ele nasceu, esse tem sido o melhor mês (parece que vai ficando cada vez melhor...). Ele está cheio de gracinhas, de sorrisos e de gritos. Parece que percebeu que sai som de dentro dele e fica alternando a altura dos gritinhos enquanto percebe que ele mesmo quem faz aquele som. É muito engraçado.
Está enorme de gordo e de grande. Apesar da pediatra dizer que ele é baixinho para o peso (9kgs!!! e 66cm) acho ele bastante grande para a idade. A amamentação continua em livre demanda, apesar de eu estar sentindo que meu leite está indo embora :( , mas já começamos a inserir comidinhas, suquinhos, frutinhas, papinhas, tudo inho para ele sentir novos sabores. E ele adora. Pelo visto, será 'bom de boca'. Pelo menos, assim espero.
Ele está uma delícia, divertido e bastante mimado (primeiro neto é fogo!). Mas me diz: tem como não mimar um bebezinho de 5 meses?
Bom, pelo visto, ele já fez a escolha dele: adora LOIRAS! Fica maluco para ir pros braços de qualquer "galega" que passe por perto. Acho muito engraçado (mas morro de medo[1]).
Sinto que ele está completamente acostumado com a rotina de carro + escritório + carro + casa da avó + carro + casinha da gente. Apesar de ser uma rotina puxada e bastante corrida. Percebo que, principalmente, nos fins de semana (e feriados) que estamos em casa, ele fica procurando gente (no escritório ele vê muita gente) e sente falta de andar de carro.
Quanto ao sono. Continuamos bem. Apesar dele ter diminuído a quantidade de horas de sono durante o dia (uma hora tinha que ser né?) continua 'sonecando' muito bem e muitas vezes. E durante a noite (geralmente) dorme bem. Acorda uma (no máximo duas) vez na madrugada para mamar rapidinho e dormir rapidinho também.
Continua apaixonado/encantado pelo pai. Adora o avôs, é maluco pelas avós. Curte muito as brincadeiras do tio e da tia. 
Já está acostumado com as casas dos avós. 
Observa tudo se vai para um lugar diferente. 
Adora ver gente. 
Quer pegar tudo e colocar na boca, não importando o tamanho.
E agora esfrega a cara em mim quando quer mamar.
Além disso, está numa coceira maluca das gengivas por causa dos dentinhos, que ainda não deram o ar da graça. Mas estou prevendo que não deve demorar (não sei se estou certa, mas...).
No mais, tudo ótimo. Como disse no começo: está cada vez melhor. Cansativo, mas não tem nada mais gostoso do que aquela gargalhada banguela.


[1] Imagina se alguma "ladra" de bebês LOIRA me rouba o meu pequeno?! 

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Sobre as tais linguagens do amor

  • Palavras de afirmação;
  • Presentes;
  • Atos de serviço;
  • Tempo de qualidade; e
  • Toque físico.

Nos últimos dias tenho pensando -e falado- muito sobre as tais linguagens do amor. É que, desde que li o livro (e faz tempo!), parece-me mais fácil compreender o outro baseando-me na forma como ele demonstra e recebe amor.
É fato que desde que fui mãe muita coisa rolou na minha cabecinha... e a insegurança simplesmente duplicou (ou mais!). Por isso nesses momentos gosto de lembrar de como as pessoas (uma pessoa em especial) me demonstram amor. E assim perceber que a forma como eu gostaria de receber não é a mesma que o outro tem para demonstrar. O que, no entanto, não quer dizer que lhe falte amor.
Mas calma, linguagem do amor é uma coisa. Gente que não gosta da gente é outra. É preciso sempre saber discernir as coisas. Talvez você ache que está fazendo a "leitura" errada porque o outro demonstra amor diferente. Mas pode ser, simplesmente, porque o outro não lhe tem amor.
Não vamos aceitar qualquer coisa somente porque existem linguagens diferentes, né?!
Contudo, acho importante levar em consideração as diferentes formas de 'comunicar amor' no relacionamento. Fica mais fácil compreender a si mesmo e ao outro.

Tem mais sobre Linguagem do Amor aqui e aqui


quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Bem pouco sobre a insegurança

A verdade é que tem dias que estou tão (extremamente) cansada que nem consigo dar margem a insegurança - apesar dela existir-. Ligo o "foda-se" e vou dormir.

Simples assim

Sem mais


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Sobre muitas coisas, todas ao mesmo tempo

Quando você tem muitas coisas a dizer, acaba por não saber nem começar. É tipo eu, tipo agora falando "tipo" muito mais que o suportável.
Quanto ao que anda acontecendo por aqui: muitas coisas, coisas intensas e cansativas. E me parece que será assim (para) sempre.
Tenho pensado bastante se não teria sido melhor trancar o curso e terminar só no próximo semestre... Só que não. Tenho certeza que essa - apesar de cansativa - foi a melhor escolha. A rotina não está simples. Mas se até Pietro já se acostumou, por que não eu?
E por falar nele: chegaram os 5 (cinco) meses e estamos todos muito "embasbacados" com a belezura que está aquele pirralho. Cheio de querer, de fome, de sorrisos, de gritinhos, de gengivas coçando, de muita baba, de muita interação, muita 'falação' / conversa, e de amor por todos os lados.
Estou apaixonada por essa fase. E se ao mesmo tempo eu quero ver muito mais coisas, eu também quero que o tempo pare.
{Pausa para suspiro de mãe: ai ai!}
A família vai bem, obrigada. Mas some esposa com mãe e multiplique por mulher sem tempo. O resultado será esposa insegura. Ninguém é perfeito né? Quanto mais eu!
Mas se fiz uma boa escolha na minha vida, essa foi a de casar com aquele tal de André. Porque, meus queridos, manter o interesse na mesma mulher todos os dias de sua vida não é fácil. Imagine na mesma mulher que precisa ser dividida com filho, faculdade e trabalho¹.
Reparou o motivo da insegurança?! Medo de não dar conta... O importante é que, até então, estamos caminhando bem. Curtindo esse lance de família. E que negócio gostoso esse. Acordar os três juntos (ou ser acordado pelo mais novo) e ficar se curtindo na cama, só pra começar...
Nunca pensei que fosse amar tanto essa vidinha cheia de rotina, cheia de clichês e, ao mesmo tempo, cheia das novidades.
{Pausa para outro suspiro: aaii...}

E assim seguimos.

¹ trabalho : copytec (onde o trabalho é até leve...)

Tempo

Ilustração: Freepik Tempo, não desejo que passes devagar. Tão pouco concordo em passares rápido demais. Apenas passe no seu tempo e n...