Páginas

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Conclusão de Curso

RETROSPECTIVA 2012

Poderia resumir esse post numa simples palavra: AMIZADE. Mas eu preciso - mais uma vez - comentar que por causa de sete amigas (e minha família) eu pude chegar até a conclusão da Graduação em Processos Gerenciais.
Lembro bem da conversa que tive com André no meio da rua, parada num sinal, prestes a atravessar, sobre como eu deveria me preocupar com o futuro da empresa e, já que eu não estava muito bem na Engenharia, procurar um curso de gestão a fim de atuar ativamente na COPYTEC. Comecei a busca por um curso de gestão em dois anos e dei de cara com a IBGM.
Cheguei uma semana depois das aulas, mas fui bem recebida. Logo estava inserida num grupo de mulheres, cada uma de um jeito, cada uma buscando coisas diferentes, cada uma com belas virtudes e com defeitos tenebrosos, quantas diferenças! Mas, ao longo dos semestres foi essa diferença que nos manteve unidas. A diferença que nos fez completar uma a outra e manter um grupo formado desde o primeiro trabalho. Agregamos mais uma mulher destemida e cheia de criatividade, e montamos um plano de negócio cheio de charme, cheio da nossa própria essência. E o resultado só poderia ser: SUCESSO.
O TCC já está entregue e assinado, esperando autorização para fazer parte da coleção de monografias da biblioteca. Quanto orgulho!
Não acrescentamos página de agradecimento pois ficaria imensa e mesmo assim não contemplaria a todos quanto gostaríamos de agradecer. Mas se pudesse ter uma página só minha, certamente teria escrito assim:

À meus pais que me deram todo apoio e credibilidade, em especial, a minha mãe que me deu toda estrutura para cursar com tranquilidade a graduação, cuidando com carinho e imenso amor do meu bebê recém chegado.
À meu marido que me deu toda sua compreensão, amor e carinho. Que cuidou da minha saúde mental e física, e sempre estava disposto a me ouvir.
À meu filhinho que mesmo sem entender foi tão paciente com a rotina complicada a que eu lhe submeti.
Às minhas amigas, as sete mulheres, que foram pra mim, braços fortes, minhas colunas, meu apoio e meu abrigo sempre que necessário. Que foram compreensivas com minhas faltas, mesmo que essa lhe rendessem ônus na pontuação. Que foram preocupadas e ouvintes, sempre aguentando minhas intermináveis histórias quanto ao crescimento do meu bebê. Que me suportaram até o fim, mesmo quando eu estava insuportável. Que foram amigas, no maior, melhor e mais profundo sentido da palavra. À elas, o meu eterno obrigado. Sem essas mulheres pouco disso seria possível.


Nenhum comentário:

Postar um comentário