Páginas

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Tem dias

Tem dias <geralmente os que meu marido trabalha> que fico muito pensativa e talvez até um pouco triste. Fico, (in)conscientemente, avaliando minha vida pós-maternidade, percebendo o quanto de coisas tenho dado - ou não - a preferência até aqui, me conformando que de agora pra sempre não tem mais aquela história de "sou mais eu".
Ao contrário, cada dia é "menos eu", não no sentido "anulante" da expressão, mas exercendo o altruísmo que o egoísmo tão intrínseco meu nunca permitiu. Tem coisa que só filho faz.
Tenho me gastado exercendo a paciência e perseverança (né?), porque tem dias que são realmente bem difíceis. Por exemplo, dificilmente me acho bonita. O cabelo (por mais que eu tente do jeito que dá) nunca está bom, a roupa sempre está (de algum jeito) suja, tem biscoito e bagunça pela casa, pelo escritório e por aí vai...
Não sou neurótica. Pietro bagunça tudo - energia que não acaba mais - e eu só arrumo quando ele dorme/soneca. Tento deixar ele bem livre, tento estimular e estou precisando me policiar pra não virar 'a louca do NÃO'.
Ao mesmo tempo que avalio a 'dificuldade', reconheço que sou muito privilegiada (todo mundo ajuda!). E por isso estaciono em um conflito razoável dentro de mim: não devo reclamar vs. estou muito cansada pra não reclamar.
E assim sigo, pensando: será que esse conflito é mesmo normal?

2 comentários:

  1. Não tenho filhos, por isso não posso ajudar com a minha experiência. Digo apenas que compreendo e que acredito que não deve ser nada fácil manter o equilíbrio, nesta nova fase da vossa vida e também, para animar um pouco, uma vez Mãe, Mãe toda vida! :) Felicidades!

    ResponderExcluir