Páginas

terça-feira, 26 de março de 2013

11 meses, e já ?!

Sei que é muito clichê falar que o tempo passou rápido demais e que Pietro, mês que vem, completa seu 1º ano de vida. É clichê. Mas é verdade.
Ao mesmo tempo, sinto que curti bastante. E que continua ficando cada vez melhor. Além disso, eu sempre terei a impressão que 'filho dos outros, cresce mais rápido', ou seja, o nosso pirralho está em um bom tempo de crescimento ;)
No mais, vamos vivendo a nossa rotina naquela intensidade de sempre. E Pietro, que já está acostumado, vai lidando muito bem - mesmo passando muito tempo no carro, preso nos engarrafamentos (ele fica um pouco "aperriado"); com passar pouco tempo na casa dos pais (onde os próprios pais passam pouco tempo), com conviver com muitas pessoas adultas e ver muitos rostos diferentes o tempo todo, e por aí vai -.
Realmente, não sei se estou fazendo bem ou mal para ele. Sei apenas, que do nosso modo, essa tem sido a melhor maneira de criá-lo. O que não quer dizer que é a mais fácil. Trazer uma criança para o ambiente de trabalho, por mais que ela se adapte facilmente, por mais que todo mundo ajude, por mais que os clientes fiquem babando e paparicando o rapaz, por mais que pareça sonho de toda mãe que trabalha fora. Não é fácil.
Não raro, me pego num lamaçal de culpa por não conseguir poupá-lo e ficar mais tempo em casa, por expô-lo a todo tipo de gente que entra na empresa, e por tantos outros motivos, como por exemplo, semanas atrás ele - com todo sua curiosidade - machucou o rosto, bem perto do olhinho, por pouco, por BEM pouco não foi no globo ocular, numa de nossas máquinas.
Mas, voltando a alegria dos 11 meses; Pietro está cheio de dentes - oito! - e, como sempre, sentimos aquela inquietação e irritabilidade inerente a essa fase. Além disso, ele está cheio de vontades. Ele não fica chateado se não for atendido, ele não fica triste, ele fica com RAIVA. Isso mesmo. Ele briga, reclama, fala muito - na língua dele - e fecha a cara.
Mas continua com aquele sorriso simpático de sempre, com aquele jeito de querer roubar a atenção de todos.
Na verdade, ele é muito bonzinho. No entanto, desde já, mostra personalidade forte. A mãe mole aqui, precisa de muito exercício para contê-lo e ensinar a obediência e o respeito.
Pietro se anima com a maioria das brincadeiras, ama de paixão qualquer bola que lhe apareça na frente, sabe até chutar e brincar com ele é, de longe, uma das melhores coisas da vida. A gargalhada dele é impagável. E ficar grudadinho com ele é uma delícia.
Quase todo dia, de manhã, ele acorda antes da gente para comer, depois da mamadeira, eu coloco ele em nossa cama e grudamos os três. É muito gostoso. Infelizmente, passamos muito tempo fora de casa, entretanto, temos buscado valorizar cada momento desses.
Percebo que Pietro já começa a associar nomes às pessoas. Já reconhece e lembra de lugares. Tem falado bastante na sua própria língua, mas já dá para reconhecer algumas coisas como "bó" (bola), "pa pa" (papai), "ma ma" (mamãe - ou quando quer alguma coisa), "pehí" (perigo, nome de um cachorro que tem lá na rua dos meus pais, ou qualquer outro cachorro que apareça por lá).
No mais, vamos bem.
Pietro é um bálsamo nas nossas vidas, existem dias bem difíceis, mas é só olhar para ele e tudo simplifica.
Ele é a prova que Deus existe e que gosta da gente. E isso nos faz muito bem.

Eu sorrio e a mamãe fica feliz também :)

Um comentário:

  1. Tá puxando a mãe: garoto de personalidade forte!

    Lindo com seus dentões ;)

    ResponderExcluir