Páginas

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Pietro, eu não tô entendendo

O meu filho sempre foi muito falante mesmo antes de aprender a falar. Como a maioria dos bebês, balbuciava bastante desde que tinha uns poucos meses.
Hoje, com 1 ano e 7 meses - o tempo passa, o tempo voa - ele conversa, canta, grita, explica, conta história, (acha que) lê livros e fala, fala, fala o tempo todo.
O problema é que algumas vezes a gente simplesmente não entende o que ele quer. Ele fala, aponta, tenta explicar, mas a gente não entende. É aí que se instala o desespero. Dele, nosso e de qualquer um que esteja ao redor. Na maioria das vezes eu respondo com um 'Pietro, eu não tô entendendo' na esperança que ele me entenda... Mas, né? É querer demais.

Acho muito interessante a ilusão que as pessoas têm de que mãe sempre entende o que a criança diz. "Mãe, traduz aí" é uma das frases que a gente mais escuta nessa fase. É claro que pelo nível de convivência a gente consegue entender a maioria das coisinhas, porque 'macarrão' é 'cama-ão', que 'computador' é 'abador' e que 'cumí' é 'dormir'. Mas nem sempre é tão fácil.

Percebo que Pietro se expressa muito bem para a idade dele. Não sei se pela convivência com um grande grupo de adultos, não sei se porque conversamos bastante com ele, ou se porque eu sou muito coruja e acho meu filho demais. Apenas sei que essa fase, apesar dos pequenos desesperos que batem, é fantástica e deliciosa. Esse aperfeiçoamento, ou crescimento, sei lá; da inteligência é o momento que a gente sente o tempo passar mais depressa, ou seja, é o momento que ele está crescendo mais rápido e por isso é preciso ter muito cuidado com a baba que está caindo para não perder nenhum instante.

Assim seguimos.

Um comentário:

  1. Aproveita a fase! Daqui a pouco ele estará falando melhor do que a gente... ;)

    ResponderExcluir