Páginas

domingo, 18 de maio de 2014

Eu paro.


Muitas vezes, ao começar a escrever aqui eu paro.

Paro, porque penso no que constatações sobre os meus dias podem trazer de relevante para quem me lê? Confesso que mais de uma vez já pensei em parar de vez de escrever aqui. Mas percebi que não consigo e desisti logo da ideia.

Além disso, tenho uma vida comum e corrida. Como a da maioria das pessoas que conheço. Aquelas que acordam as 5 da manhã, e dormem felizes as 22 horas, por terem conseguido ir pra cama 'cedo'.
Gosto muito de escrever. Vocês sabem. Mas sinto falta de ter O QUE escrever. Se falo sobre os acontecimentos do país e do mundo, sempre acho que me falta informação para gerar um comentário relevante e embasado.

Se falo sobre maternidade, fica cansativo. Esse não é um blogue materno. Nem quero torná-lo um. Não pretendo expor meu filho mais do que já faço normalmente.
Enfim, escrever para mim, sobre qualquer coisa, tem se tornado imensamente cansativo por causa de minhas próprias cobranças.

Além disso, não tenho lido como gostaria ultimamente. O meu vocabulário em muito tem se perdido. E além disso, estou tão focada nos meus trabalhos que tenho que me policiar para não ficar falando SOMENTE sobre isso, o tempo todo. Esses motivos parecem pequenos para tanto drama. E talvez sejam. Mas me dou o direito e o desejo de falar bem sobre as coisas, não só de falar simplesmente, mas de poder fazer desse espaço um canal para indagações, reflexões e divagações. Como sempre foi.

Assim seguimos.


Um comentário:

  1. Acredito que todo mundo fala do que vivencia, seja seu trabalho, seus filhos, aqueles acontecimentos do país...
    Acredito também que é por isso que temos blog, para falarmos sobre isto e aquilo mesmo que nos falte um julgamento mais preciso ou um vocabulário mais bonito, portanto fale sobre tudo e fale sobre nada.
    Estamos aqui para te ler.

    ResponderExcluir