quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

em tempo, Sugestões de Ano Novo

Parece meio atrasado esse texto, mas creio que é tão atemporal que tenho a impressão de já tê-lo postado antes aqui..

**


#1
Não assuma compromissos do tipo “vou iniciar uma dieta”, “vou começar alguma atividade física”, “vou terminar o curso de inglês”. Esse tipo de coisa serve apenas para acumular culpa e frustração sobre os seus ombros.
#2
Não acredite nesse pessoal que diz que “sem meta você não vai a lugar nenhum”. Pergunte a eles por que, afinal de contas, você tem que ir a algum lugar. Trate esses “lugares futuros imaginários” apenas como referência para a maneira como você vive hoje – faça valer a caminhada: se você chegar lá, chegou, se não chegar, não terá do que se arrepender. A felicidade não é um lugar aonde se chega, mas um jeito como se vai.
#3
Não pense que você vai conseguir dar uma guinada na vida apenas mudando o seu visual. É a alegria do coração que dá beleza ao rosto, e não a beleza do rosto que dá alegria ao coração.
#4
Não faça nada que vá levar você para longe das suas amizades verdadeiras. Amizades levam um tempão para se consolidar e um tempinho para esfriar, pois assim como a proximidade gera intimidade, a distância fragiliza os vínculos.
#5
Não fique arrumando desculpas nem explicações para as suas transgressões. Quando cometer um pecado, assuma, e simplesmente diga “fiz sim, me perdoe”. Comece falando com Deus e não pare de falar até que tenha encontrado a última pessoa afetada pelo que você fez.
#6
Não faça nada que cause danos à sua consciência. Ouça todo mundo que você confia, tome as suas decisões, e assuma as responsabilidades. Não se importe em contrariar pessoas que você ama, pois as que também amam você detestariam que você fosse falso com elas ou se anulasse por causa delas.
#7
Não guarde dinheiro sem saber exatamente para que o está guardando. Dinheiro parado apodrece e faz a gente dormir mal. Transforme suas riquezas em benefícios para o maior número de pessoas. É melhor perder o dinheiro que ocupa seu coração, do que o coração que se ocupa do dinheiro.
#8
Não deixe de se olhar no espelho antes de dormir. Caso não goste do que vê, não hesite em perder a noite de sono para planejar o que vai fazer na manhã seguinte. Ao se olhar no espelho ao amanhecer, lembre que com o sol chega também a misericórdia de Deus: a oportunidade de começar tudo de novo.
#9
Não leve mágoas, ressentimentos e amarguras para o ano novo. Leve pessoas. Sendo necessário, perdoe ou peça perdão. Geralmente as duas coisas serão necessárias, pois ninguém está sempre e totalmente certo. Respeite as pessoas que não quiserem fazer a mesma viagem com você.
#10
Não deixe de se perguntar se existe um jeito diferente de viver. Não acredite facilmente que o jeito diferente de viver é necessariamente melhor do que o jeito como você está vivendo. Concentre mais energia em aprender a desfrutar o que tem do que em desejar o que não tem.
#11
Não deixe o trabalho e a religião atrapalharem sua vida. Cante sozinho. Leia poesias em voz alta. Participe de rodas de piada. Não tenha pressa de deixar a mesa após as refeições. Pegue crianças no colo. Ande sem relógio. Fuja dos beatos.
#12
Não enterre seus talentos. Nem que seu único tempo para usá-los seja da meia noite às seis. Ninguém deve passar a vida fazendo o que não gosta, se o preço é deixar de fazer o que sabe. Útil não é quem faz o que os outros acham importante que seja feito, mas quem cumpre sua vocação.
#13
Não crie caso com a mulher ou com o marido. Nem com o pai nem com a mãe. Nem com o irmão nem com a irmã. Caso eles criem com você, faça amor, não faça a guerra. O resto se resolve.
#14
Não jogue fora a utopia. Ninguém consegue viver sem acreditar que outro mundo é possível. Faça o possível e o impossível para que esse outro mundo possível se torne realidade.
#15
Não deixe a monotonia tomar conta do seu pedaço. Ninguém consegue viver sem adrenalina. Preste bastante atenção naquilo que faz você levantar da cama na segunda-feira: se for bom apenas para você, jogue fora ou livre-se disso agora mesmo. Caso não queira levantar da cama na segunda-feira, grite por socorro.
#16
Não deixe de dar bom dia para Deus. Nem boa noite. Mesmo quando o dia não tiver sido bom. Com o tempo você vai descobrir que quem anda com Deus não tem dias ruins, apenas dias difíceis.
#17
Não negligencie o quarto secreto onde você se encontra com seu eu verdadeiro e com Deus – ou vice-versa. Aquele quarto é o centro do mundo – o mundo todo cabe lá dentro, pois na presença de Deus tudo está e tudo é.
#18
Não perca Jesus de vista. Não tente fazer trilhas novas, siga nos passos dEle. O caminho nem sempre será tão confortável e a vista tão agradável, mas os companheiros de viagem são inigualáveis.
#19
Não caia na minha conversa. Aliás, não caia na conversa de ninguém. Faça sua própria lista. Escolha bem seus mestres e suas referências. Examine tudo. Ouça seu coração – geralmente é ali que Deus fala. Misture tudo e leve ao forno.
#20
Não fique esperando que sua lista saia do papel. Coloque o pé na estrada. Caso não saiba por onde começar, não tem problema. O sábio disse ao caminhante que “não há caminho, faz-se caminho ao andar”.

Ed René Kivitz



terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Crescer é isso?


  Crescer é isso? É ir trabalhar sem estímulo? É perceber que ainda não tem uma missão na vida? É saber que está indo, mas não saber onde quer chegar? Será?

  Será que crescer é se deter as responsabilidades e se perder dos desejos? É buscar um equilíbrio e perceber que não há como equilibrar-se?

  Crescer é clamar pelos fins de semana apenas pelo fato de poder dormir até tarde? E não por poder curtir até tarde? Será mesmo que crescer é isso?

  Eu sempre quis crescer! Ser grande! Ser gente! E hoje percebo que esse processo foi rápido demais. Pulei de ano. Terminei o ensino fundamental e médio antes do tempo. E não construí uma base lá muito boa. Entrei na universidade sem ritmo e demorei três anos para desistir de reprovar tantas vezes.

  E então eu me encontrei noutras coisas. Pessoal e profissionalmente. E percebi que não posso ser um sem o outro. 

  O problema é que – muitas vezes – não encontro propósito na minha caminhada. E por isso não consigo andar. Tenho dificuldade de simplesmente apreciar a paisagem se não estiver com o destino previamente definido. 

  Não é que eu não veja propósito em tudo. Mas cada dia estou menos satisfeita com os planos que tenho agora. Principalmente por serem planos 'para agora'. Quando paro para pensar em quais seriam minhas metas a longo prazo... eu não sei. Não sei responder. Não sei dizer. Não sei o que quero. 

  É esse 'não saber' que me aflige, me incomoda e me martiriza. Pois se a gente não sabe onde quer chegar, não faz diferença o caminho que tomamos.

  Por outro lado, é uma tremenda falta de delicadeza esperar que esse(s) destino(s) sejam propostos do dia para a noite. Vejam só que paradoxo!

  E será que é essa a chave do amadurecimento? Saber viver nesse paradoxo que é a vida de cada um?

 

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Desejos de ano novo: Pilates



  Pratico pilates desde 2007. Muito antes da "moda" entre as famosas; acho que nessa época a tal da Carolina Dieckman foi que começou a divulgar que praticava para voltar a forma depois de uma gravidez que lhe rendeu uns 30 quilos a mais, mas aí é outra história.

  Quanto a mim, um ano depois de iniciar a prática, estava em um nível avançado, com postura correta, força e elasticidade de dar inveja.

  Por um motivo ou outro comecei a ir menos ao Studio, bem menos, até parar. Lá por volta de 2010 eu não conseguia mais praticar nada além de uma caminhadinha ou uma corrida bem de leve.

  Casei, tive filho e quando Pietro desmamou consegui voltar a ter aulas particulares em um Studio recém aberto próximo a empresa. Fiquei muito animada, mas não consegui manter a frenquência :( Foi triste! E desisti de vez.

  Até que no fim do ano passado encontrei esse livro dando sopa na livraria. Dei uma folheada e trouxe para casa.

  Para ser bem sincera ainda não pratiquei nada. Mas está nos meus planos para 2015 voltar com o pilates. Nem que seja com as coisas mais simples, que são mais fáceis de ter atenção com a postura e respiração. Pensei em procurar um Studio (abriu outro aqui perto e eu os acompanho pelo facebook); mas acho muito difícil manter a frequência. Por isso, vou praticando em casa mesmo. E quando eu sentir que trabalho + maternidade não irão influenciar taaaaanto assim em minha disponibilidade, volto a ser instruída por um profissional para tentar subir de nível.

  Por hora, volto a ser iniciante.

Tempo

Ilustração: Freepik Tempo, não desejo que passes devagar. Tão pouco concordo em passares rápido demais. Apenas passe no seu tempo e n...