Páginas

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Crescer é isso?


  Crescer é isso? É ir trabalhar sem estímulo? É perceber que ainda não tem uma missão na vida? É saber que está indo, mas não saber onde quer chegar? Será?

  Será que crescer é se deter as responsabilidades e se perder dos desejos? É buscar um equilíbrio e perceber que não há como equilibrar-se?

  Crescer é clamar pelos fins de semana apenas pelo fato de poder dormir até tarde? E não por poder curtir até tarde? Será mesmo que crescer é isso?

  Eu sempre quis crescer! Ser grande! Ser gente! E hoje percebo que esse processo foi rápido demais. Pulei de ano. Terminei o ensino fundamental e médio antes do tempo. E não construí uma base lá muito boa. Entrei na universidade sem ritmo e demorei três anos para desistir de reprovar tantas vezes.

  E então eu me encontrei noutras coisas. Pessoal e profissionalmente. E percebi que não posso ser um sem o outro. 

  O problema é que – muitas vezes – não encontro propósito na minha caminhada. E por isso não consigo andar. Tenho dificuldade de simplesmente apreciar a paisagem se não estiver com o destino previamente definido. 

  Não é que eu não veja propósito em tudo. Mas cada dia estou menos satisfeita com os planos que tenho agora. Principalmente por serem planos 'para agora'. Quando paro para pensar em quais seriam minhas metas a longo prazo... eu não sei. Não sei responder. Não sei dizer. Não sei o que quero. 

  É esse 'não saber' que me aflige, me incomoda e me martiriza. Pois se a gente não sabe onde quer chegar, não faz diferença o caminho que tomamos.

  Por outro lado, é uma tremenda falta de delicadeza esperar que esse(s) destino(s) sejam propostos do dia para a noite. Vejam só que paradoxo!

  E será que é essa a chave do amadurecimento? Saber viver nesse paradoxo que é a vida de cada um?

 

4 comentários:

  1. O nosso destino é ser feliz. É o objectivo que todos procuramos, de uma forma ou de outra, não é?
    Temos que tentar ser felizes no trabalho, no amor, na família, nos amigos, enfim... Eu sei que não é fácil, mas posso dar uma dica. Tenta baixar a tua fasquia...
    E agora que já disse isto e porque dizer é sempre mais fácil do que fazer, posso dizer que sofro mais ou menos das tuas inquietações. :)
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para ser bem sincera... acho essa obrigação de ser feliz é um pouco cansativa. Até porque, se pensarmos direitinho, é praticamente impossível ser feliz em todas as áreas da nossa vida. De modo que não seremos completamente felizes. E - a meu ver - essa inquietação é o que move o mundo. Sei lá.

      Excluir
  2. Estou eu aqui com as mesmas inquietações, questionando minha falta de destino, não apreciando o horizonte e achando tudo isso um saco. =(
    Queria adiantar pra parte onde já chegamos no topo da montanha e admiramos a paisagem....

    Mas enfim, acho que o Pedro Bial já nos deixou um conselho:

    "Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida
    As pessoas mais interessantes que eu conheço não sabiam, aos
    vinte e dois o que queriam fazer da vida.
    Alguns dos quarentões mais interessantes que eu conheço ainda
    não sabem.

    Link: http://www.vagalume.com.br/filtro-solar/pedro-bial-filtro-solar.html#ixzz3Qj2um1hV"

    ResponderExcluir
  3. Esse tal de Pedro Bial disse tudo certo. :)

    ResponderExcluir